terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Saudade

Em um ponto se resume minha presença,
Minha existência silencia
Encerrada com cadeado em sentença
De que a companhia que eligi não me acompanha
E todos os outros que me rodeiam
São apenas algo que me recorda
A ausência e a demora.


Jejels, novembro 2016.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Mais uma vez

Mais uma vez sozinha
Num canto escuro, a cama
Parece cada vez mais vazia.

Sinto meu corpo diminuir
Secando a cada lágrima desconsolada
Sabendo que ninguém vai ouvir.

A noite cai sobre mim
Com as lembranças do que foi
O dia que chegou ao fim.

Potenciais que não se realizaram,
Cores que não coloriram,
Sorrisos que se calaram.

A esperança que se quebra
Em estilhaços minúsculos
Que a noite dispersa.

Mais uma vez sozinha
Num canto escuro, a alma
Padece cada vez mais vazia.


Jejels, 03/02/2017.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

About the last days

Maybe this is it...
A real Nightmare Before Christmas...



Jejels, 23/12/2016.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Ausência letárgica

A cada manhã
Uma letargia que me paralisa...
Os dias se vão com a brisa.

O mundo parece parado
Sem cor, sem perfume, nenhum agrado
Apenas o relógio a tiquetaquear.

À espera de uma resposta,
Continuo olhando na mesma direção...
O artefato que te traz em minha mão.

A cada manhã, 
Tua falta me paralisa...
Expande-se em abismo nossa divisa.


Jejels, 22/12/2016.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016