terça-feira, 22 de abril de 2008

Olhos Morenos

Teus olhos morenos
Perdidos no infinito
Desse céu de luar sereno
Com o brilho mais bonito.

Presos ao imaginário
Do lindo amor do seu sonhar,
Carta sem destinatário
De uma poeta que aprendeu a amar.

Esperança um dia morre,
Mas a sua estrela vai brilhar;
Seu sangue ainda corre,
Então não deixe de sonhar.

Morena, teus cabelos lisos
Escorrem pelo meu olhar.
Não apague esse sorriso
Que traz a ternura do mar;
Brisa, cuide desse peito
Inocente a chorar
Por seu pequeno coração desfeito
Que ela não sabe concertar.

Morena que veio do mar,
Limpe essas lágrimas sofridas
Que não foram compreendidas
Na sombra do luar.

Não deixe que teus olhos
Se quebrem e se percam
Nas lágrimas de fogo
Que te machucam e te queimam,
Não beba o veneno
Que destrói o sonhar,
Abra teus olhos morenos
E encontre forças para lutar.

Saia do vale escuro
Das árvores etéreas,
Então eu te juro
Que a ferida não será eterna.

O mundo não entende
Teu sensível coração,
Mas abra teus olhos
E vencerá a solidão.



Jejels, 22/04/2008

Nenhum comentário: