quinta-feira, 10 de abril de 2008

Sacrifício

A lua ilumina a floresta perdida
Antes deserta e insignificante,
Agoa cheia da piedade demolida
E do silêncio contagiante.

Não vou resistir dessa vez
Veneno imaterial
Sacrifício edaz... Feche meus olhos.

Lavarão minha mente
Mas não meu coração,
O sofrimento latente
Sangrando em sua mão.

Eu vou desistir dessa vez
Veneno magistral
Sacrifício edaz... Feche meus olhos.

Você não me salvará,
Ninguém pode me ver.

Me tire do sono ants que o Sol nasça,
Me tire do corpo negro no infinito,
Me tire dessa farsa,
Me tire de mim, eu já não sinto...

Feche meus olhos...
Meus olhos.

Não há esperança dessa vez
Veneno imortal
Sacrifício edaz...

Durma bem.


Jejels, 10/04/08

Nenhum comentário: