quinta-feira, 1 de maio de 2008

Olhos de anjo

Um dia qualquer...
Tinha tudo para ser
Um dia comum
Mas foi dia de crescer.

E não pude perceber
Por seu perfeito disfarce
Era um anjo no entardecer
Que me deixou ver sua face.

E teus olhos envolventes
Encontraram os meus
Perdidos tristemente
À beira do hipogeu.

Foram então iluminados
Pelo brilho do seu sorriso
Tímido e estrelado,
Um alegre riso.

Fui então encharcada
Por um dilúvio de nervosismo,
O anjo de asa esbranquiçada
Veio falar comigo.

Não disse, porém, uma palavra sequer
Mas seu olhar bastou
Para tomar o coração dessa mulher
Que em seus olhos naufragou.

Todas as noites, ao luar
Recito poemas românicos
Tentando assim declarar
Meu amor em cânticos.

Anjo que em meus sonhos voa,
Traga sua presença e teus versos
Tocando a melodia que soa
Nessa noite fria de inverno...



Jejels, 01/05/2008.

Nenhum comentário: