sábado, 30 de agosto de 2008

Poemando com pudim...

Eu esperei muito tempo,
Os sonhos têm açúcar, açúcar é doce
E no fim vira tudo realidade
Todo o esforço queeu fiz...
Não deu para vencer,
Meu sonho açucarado,
Eu estou errado,
Estou acimado peso
Então agora tenho que descobrir o tesouro
E não há nada a dizer depois de PUDIM...
Foi quando ouvi a sirene dos bombeiros
E descobri que estava pegando fogo!!
...(nada a dizer)
Então saí gritando que estava cego...
- Huum... gosto bom... Pera! (Tô de boca cheia...) -
Mas no final das contas o avião deu problema
Então desci de pára-quedas para não chegar atrasada
No churrasco de pudim.




Meu pudim, meu pudim,
O suco vai pro rim,
Mas agora não dá mais...
Não dá mais!
Por que será que sonhamos?
Por que somos animais?
Quem criou o chocolate?
Há tantas perguntas açucaradas...
E logo hoje,
No MC Dia Feliz,
Estou triste de tanto comer pudim de arroz
E de beber leite de jacaré...
Tantas coisas com açúcar...
Eu sou preso,
Preso num sonho de pamonha.
Agora! Ainda tenho que encontrar o Curinga
Para matar o jiló assassino...
EU AMO PUDIM!
E foi nessa hora que me acertaram com uma kunai!
Mas quando eu ia começar a esquiar,
Meu celular tocou,
Então falei pro Btaman que eu estava em perigo.
Adeus, pudim!
E aqui vou eu cair num abismo de açúcar...




Jejels e Gabriel, 30/08/2008.

Nenhum comentário: