sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Edaz

Luz do dia
A melodia
Que tem o perfume doce.

A memória
Da história
Que não conheço o fim.

Andando sem rumo e
A bruma do muro
Parece sustentar
O medo da morte;
Você tem sido forte,
Ainda ousa sonhar.

A escara em meu peito
E há apenas um jeito
De voltar atrás.
Caminhando no escuro,
Nesse amargo mundo,
O perfume dessa vida edaz.

Luz da alma
Sua áurea
Que brilha essa noite.

Contraponto,
Um estrondo,
Uma luz cortando o céu.

A bruma do muro...
Essa vida edaz...
A escara em meu peito...
Não há mais como voltar atrás.




Jejels, 14/01/2009.

Nenhum comentário: