sexta-feira, 3 de abril de 2009

Poema

Às vezes penso como se estivesse a sonhar
tu és tão bela e eu tão tolo
tão tolo de me apaixonar

Minha vontade de te ver
ser
estar
vontade simplesmente de poder te admirar

Me deixaste simplismente doente
doente de ansiedade
o coração bate latente
mesmo sem te conhecer tão bem mas o que sinto é de verdade

Uma coisa abalou-me de forma enérgica
nunca senti algo assim
não tenho a certeza em mim
mas tu és tudo que um homem pode querer
e pode querer ser
Jéssica.




Christian Oncken, abril de 2007.

Nenhum comentário: