sábado, 25 de abril de 2009

Timidez

Observo com os olhos,
De quem as lágrimas jamais vão sair,
Observo o brilho dos olhos
De quem ainda vai chorar,
Abraço o perigo,
Vejo o medo apenas,
Como um coração tímido...


Como alguém preso,
Sem saber como sair de si mesmo,
Alguém que não sabe o que fazer
Para não esquecer.


Como alguém esperando um caminho,
Uma resposta,
Uma escuridão que pode ser enxergada,
E seguir sua sombra e emoção
Além deste tímido coração...


Coração que bate na esperança
De ser encontrado
E de algum dia poder
Se sentir amado.


Te entrego apenas meus olhos,
Pois minha mão ainda está fria
Esperando por muitos presentes e dores,
Para apenas te dizer,
Siga mais seus sonhos que seu coração,
Pois suas dores poderão jamais te deixar sair
De dentro da neblina de sua alma!


Sonhe com todas as forças
E procuro não me abater pelas derrotas.
Tento libertar minha mente e minha alma
Para enfim mergulhar na calma
Dos que conseguem se conciliar,
Dos que conseguem encontrar sentido
Na existência desse mundo esquecido.


Dos que conseguem ver a beleza
E a tristeza,
Pois o mundo se torna tudo e nada,
Mas claro para seus olhos.
Sonhe com todas as forças
Para não se perder nas mentiras e verdades
Das palavras e pessoas,
E para deixar uma marca de impossível
Se tornar real na sua vida.


Mas estou preso a meus próprios pensamentos,
Aos meus tormentos,
Pois me falta confiança,
A força que se lança
Contra mim.
Pois apenas observo
E espero até o meu dia chegar.


Esperando se sentir especial,
Sem os momentos passarem,
Se sentir amada
E jamais cair novamente,
Esperando sem ambição de um universo,
Mas a simplicidade e pureza de um sentimento eterno.
Eu busco o que meu coração ainda não sente...


Eu busco o que ainda não se entende,
Eu busco a luz na noite obscura,
O sorriso na penumbra,
A ternura e a coragem
De me deixar levar por esse sentimento
Sem ressentimento
E sem arrependimento.


Eu busco o que se entende
E o que não se entende.
Eu busco o fogo e o vento veloz,
A paz na guerra,
E a poesia na paz,
Esperando, mas sem jamais desistir.
Já não há ilusão,
Apenas...
Momentos aguardados...





Diogo Pretti Feitosa e Jejels, 25/04/2009.

Nenhum comentário: