segunda-feira, 22 de junho de 2009

Sorte


O que será que decide se você morrerá hoje, amanhã ou daqui a muitos anos? Há quem diga que a resposta para essa e outras questões relacionadas ao sucesso das pessoas na vida social, acadêmica e financeira seja uma simples questão de sorte; mas o que leva uma pessoa a pensar que dependa apenas desse fator o resultado positivo em eventos como provas, competições e até mesmo acidentes? É possível comparar essas situações a outras (realmente) dependentes apenas do acaso, como a Mega Sena?

O vestibular da UnB, realizado nesse mês, consistia em duas provas objetivas, cada uma com 150 questões abordando a matéria do Ensino Médio no contexto do cinema. Mas o que exatamente isso tem a ver com sorte? Considere que um dos candidatos, por algum motivo, decidiu resolver toda a prova marcando os itens ao acaso. Como as questões são do tipo A (certo ou errado), a probabilidade de que se acerte uma delas respondendo sem lê-la é de uma em duas, ou seja, 50%. Aplicando esse raciocínio para a prova inteira, a chance que esse candidato teria de gabaritar cada prova do vestibular da UnB desse mês é de uma em 2 elevado a 150! Se compararmos essa situação ao jogo da Mega Sena, em que, entre 60 números deve-se escolher 6, sendo que todos os números escolhidos devem coincidir com os sorteados para que se obtenha o prêmio, chegaremos à conclusão de que a chance de vencer na Mega Sena é de uma em 50 milhões, ou seja, essa porcentagem é muitas, muitas vezes maior que a chance de gabaritar o vestibular marcando os itens ao acaso. Pensemos agora no que acaba de ser colocado: ganhar na Mega Sena depende necessaria e unicamente da sorte, visto que não há nada a ser feito além de torcer para que os números sorteados sejam os que você escolheu. Já no vestibular, é possível aumentar um pouco a probabilidade de acertar cada item e, consequentemente, de acertar toda a prova (mesmo que essa probabilidade continue sendo mínima); isso ocorre a partir do momento em que se lê a questão e se sabe do assunto por ela tratado. Existe ainda outra consideração a ser feita a respeito do resultado final no caso de sucesso: se você tiver muita sorte e ganhar na Mega Sena, poderá receber um prêmio no valor de milhões de reais; por outro lado, se você passar no referido vestibular por mera obra do acaso, entrará numa universidade que está constantemente com professores fazendo greve, estudar muito, passar noites em claro fazendo trabalhos (que muitas vezes você não sabe que utilidade terá em sua vida profissional), para talvez se formar e quiçá passará num concurso para trabalhar mais ainda e ganhar algum dinheiro que ajude a viver e pagar as contas.

Qual é, no final das contas, o sentido de tudo isso? Provavelmente, o citado vestibulando que não estudou para a prova desse mês não entrará na Universidade de Brasília, o que com certeza não depende apenas da sorte de cada candidato inscrito. Portanto, cabe aqui citar uma frase dita pelo professor J. Messias em sua primeira aula de matemática desta manhã: "Se você pretende resolver sua vida usando a sorte, sugestão: as loterias da Caixa estão abertas." Sim, caros leitores, a matemática não é inútil como muitos pensam e o seu futuro não depende da blusa que você está usando, de que dia é hoje e muito menos da posição em que as estrelas se encontram. Como já dizia Chico Xavier, "embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim".





Jejels, 22/06/2009.

Um comentário:

chris disse...

ahuahuhauhauhau realmente passar no vestibular na verdade pode até trazer mais duvidas do que soluçoes mas ao menos arrique assim como na mega sena e como chico chavier , vc pode se tornar o melhor e fazer do seu caminho o melhor possivel tbm

TE AMO AMORE