quinta-feira, 30 de julho de 2009

Ausência

Foi inevitável,
Insuportável
Ter que deixar
Um coração a palpitar.

Um coração que sangra
Na esperança
Da volta
De quem ama.

Esconder-me das sombras
Das estrelas apagadas
Com as mãos machucadas,
Lágrimas rasgadas.

Eu apenas quis voltar,
Afastar-me do mar
E mergulhar em teus olhos,
Reencontrar meus sonhos.

Então perdoe-me, pois não pude
Permanecer ao seu lado,
E por fazer-te sofrer calado
Na sombra que ilude.

Eu apenas quero apagar
As marcas do teu olhar
E consertar meus erros,
Dissolver o desespero
Da minha ausência.





Jejels, 30/07/2009.

Nenhum comentário: