quinta-feira, 23 de julho de 2009

Mar aberto

Se procuro você
Não sei como procurar
Não sei onde encontrar
Procuro seus olhos
E não ouço nada
Não vejo o brilho da sua palavra
E me perco na estrada
Se o sol ilumina meu caminho
Tenho medo de seguir sozinho
Se você visita minha casa
Não sei como abrir a porta
Se você está
De braços abertos
Nunca estou perto
Se o mar se abriu para mim
Esqueci de atravessar
Meu paraíso ficou distante
E não consigo sorrir como antes.



Arnoldo Pimentel Filho (retirado de http://www.poemasdeamor.com.br).

Nenhum comentário: