segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Epifania


Noite adentro floresce o perfume.
Na bruma escura teus cabelos encontram a camuflagem,
Uma perfeita máscara à qual não sou imune.

E os olhos cintilantes encontraram sua sina
Quando os olhos castanhos fitaram a menina.

Não resta nada a fazer.
Não resta nada.
Absolutamente nada.

E naquele momento percebi
Que o sentimento me havia invadido.
Naquele instante percebi
Que você era meu desejo proibido,
Meu sonho silencioso,
Meu anjo destemido...

É você quem eu amo.



Jejels, 02/11/2009.

Nenhum comentário: