sábado, 5 de dezembro de 2009

Memória

E agora, nesse obscuro tempo do presente,
Tão apressado, tão efêmero,

Percebo o que vem sendo deixado para trás.

A alegre luz colorida,
Amigos de infância,
Aquela dolorosa ferida
Que o tempo curou...

Alguns detalhes se perderam
E outros foram criados
Com os segundos que se esqueceram
De como parar de passar.

Assim mergulho no conforto,
Dou uma pausa no confronto
Do que vivo agora
Voltando alguns anos - ou apenas meras horas.




Jejels, 05/12/2009.

Nenhum comentário: