sábado, 25 de abril de 2009

Timidez

Observo com os olhos,
De quem as lágrimas jamais vão sair,
Observo o brilho dos olhos
De quem ainda vai chorar,
Abraço o perigo,
Vejo o medo apenas,
Como um coração tímido...


Como alguém preso,
Sem saber como sair de si mesmo,
Alguém que não sabe o que fazer
Para não esquecer.


Como alguém esperando um caminho,
Uma resposta,
Uma escuridão que pode ser enxergada,
E seguir sua sombra e emoção
Além deste tímido coração...


Coração que bate na esperança
De ser encontrado
E de algum dia poder
Se sentir amado.


Te entrego apenas meus olhos,
Pois minha mão ainda está fria
Esperando por muitos presentes e dores,
Para apenas te dizer,
Siga mais seus sonhos que seu coração,
Pois suas dores poderão jamais te deixar sair
De dentro da neblina de sua alma!


Sonhe com todas as forças
E procuro não me abater pelas derrotas.
Tento libertar minha mente e minha alma
Para enfim mergulhar na calma
Dos que conseguem se conciliar,
Dos que conseguem encontrar sentido
Na existência desse mundo esquecido.


Dos que conseguem ver a beleza
E a tristeza,
Pois o mundo se torna tudo e nada,
Mas claro para seus olhos.
Sonhe com todas as forças
Para não se perder nas mentiras e verdades
Das palavras e pessoas,
E para deixar uma marca de impossível
Se tornar real na sua vida.


Mas estou preso a meus próprios pensamentos,
Aos meus tormentos,
Pois me falta confiança,
A força que se lança
Contra mim.
Pois apenas observo
E espero até o meu dia chegar.


Esperando se sentir especial,
Sem os momentos passarem,
Se sentir amada
E jamais cair novamente,
Esperando sem ambição de um universo,
Mas a simplicidade e pureza de um sentimento eterno.
Eu busco o que meu coração ainda não sente...


Eu busco o que ainda não se entende,
Eu busco a luz na noite obscura,
O sorriso na penumbra,
A ternura e a coragem
De me deixar levar por esse sentimento
Sem ressentimento
E sem arrependimento.


Eu busco o que se entende
E o que não se entende.
Eu busco o fogo e o vento veloz,
A paz na guerra,
E a poesia na paz,
Esperando, mas sem jamais desistir.
Já não há ilusão,
Apenas...
Momentos aguardados...





Diogo Pretti Feitosa e Jejels, 25/04/2009.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Por hoje

Preso ao meu triste passado,
Lágrimas caem dos meus olhos.
Sinto-me arrasado, desanimado,
Tenho medo dos constantes pesadelos.

Assim é a minha vida,
Cheia de angústias
De um passado que me trucida
Com lembranças doentias.

Mas depois de muito insistir,
Parte de mim consegue vencer.
Passei a ter forças para sorrir
Para a felicidade permanecer.

E aos poucos consigo aceitar
Esse passado infeliz.
E assim procuro me lembrar
Que só por hoje eu quero ser feliz.



Phillipe Gustavo, 01/04/2009.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Matando-me

Amor,
queima mais em mim do que em você,
não me importo,
apenas livre-me de suas lágrimas,
sei meus desejos,
sei minha dor,
jamais mudaria minha vida,
para ver essa paixão vazia,
crescer uma raiz fundo em meu coração!



Diogo Pretti Feitosa, 22/04/2009.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Minha culpa

As luzes se apagam
Num suspiro de derrota,
Numa batalha que se solta
Entre almas que vagam.

Suspiro sem esperança
De alguém que nada alcança...

E vejo meus sonhos voando,
Se esvaindo,
Decaindo,
Indo embora.

E vejo as contradições,
As divergências,
Nossos corações
Nos chamando com urgência.

Eu tento ir ao seu encontro,
Mas sua mão está muito longe de mim.

Sonhamos juntos,
Construímos nossa confiança
Para caminharmos pelo mundo
Felizes como uma criança.

Mas nós perdemos,
E eu não sei lidar com isso,
Nós lutamos
Mas nos perdemos...

Não era o que eu queria,
Mas não sei lidar com isso,
O que seria
Se a culpa não me consumisse?

Não suporto mais te ouvir chorar.

E a culpa é minha.
É a minha fraqueza,
Minha culpa,
Minha defesa.

E eu sou culpada
Por te fazer sofrer,
Porque sei que você me vê
Sofrendo calada.



Jejels, 21/04/2009.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

A falha

Impacto
Do que se achava inesperado,
Do desespero.

Porque agora nada resta
Tudo mudou
E nada adiantou.

Porque houve a falha,
O erro,
O desabamento.

Não há mais nada
Além do silêncio da mente,
A culpa crescente.

Não há mais nada
Além dos meus soluços
Perdendo o impulso.

Não há mais nada
Além das palavras
Que se tornam caladas.

Não há mais nada
Que faça sentido
Que se faça sentido
Por mim.

Não há mais nada
Que me faça levantar,
Que me faça acreditar.

Porque houve a falha,
O erro,
O desabamento.

E agora só me resta
Meu próprio sofrimento.




Jejels, 17/04/2009.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Mal entendido

Eram dez da manhã e eu já estava morrendo... nada daquilo fazia sentido. A respiração era constante, meu corpo funcionava perfeitamente... era na alma o meu mau estado. Era o meu ódio que pulsava nas veias e envenenava meus pensamentos. Eu sabia que iria morrer por isso, eu jamais aceitaria o rumo que minha vida estava tomando. O pior de tudo era saber que eu tive tudo ao meu alcance, estava tudo sobre controle quando Augusto apareceu... criatura repugnante, aproveitadora, destruidora de sonhos, envenenadora de mentes! Assassino... Todos culpam o ciúme, mas o que eu sinto é a revolta, a tristeza da perda do que era meu, do que eu conquistei! Parece que todos me viraram as costas... olham para mim como se eu fosse o culpado. Quer saber, não preciso de nada disso! A vida não passa de uma ilusão ridícula em que nos fazem acreditar! A vida é um buraco no qual você cai e te atiram punhais, nos fazem acreditar em felicidade, em beleza, em amor... quando o que fazem na verdade é cuspir em seu rosto e rir enquanto você é humilhado.
Eu a amava... mas o que sinto agora é a amarga sensação da traição. Joana é oura mentirosa, masoquista em quem acreditei por longos anos. Outra aliada dos insetos asquerosos do buraco da vida. Eu a amei, ofereci a ela o sentimento mais nobre que senti desde que nasci. E fui ingênuo o bastante a ponto de achar que ela retribuiria eternamente, como eu... acreditei em seus olhos, em suas palavras... agora eu não tenho mais nada, mas ela era minha! Ela sempre foi minha! No final das contas penso que ela está confusa, está sendo iludida pelo ladrão de vidas. Ele a enfeitiça com suas palavras, mas ninguém a amará mais do que eu. Ela me evitou, mas é a mim que ela ama, ela deve saber disso em algum confim de seu corção sínico. Ela se esquivou de cada lembrança minha, mas não pode fugir de seu amor! Joana está aqui, onde fiquei vigiando há meses. Não aguentarei mais... preciso regatá-la do ser mais repugnante que já encontrei nessa vida.

...


- Olá, meu amor! Eu sei o que sente, mas por que tem medo de mim? Você é a minha Joana, por que você mente para si mesma? Veja, amor! Estou aqui agora, podemos voltar a ficar juntos!

...


- Por que relutas quando beijo teus lábios? Não está feliz em me rever?

...

- Joana, você sabe que eu te amo mais que tudo, fale comigo, o que é, meu amor?

...

- É ele, não é? POR QUE ELE ESTÁ AQUI? Ele está em todos os lugares dessa casa! Pensaram que eu não chegaria aqui, não é? Vocês quase conseguiram fugir de mim, mas mudar de país não quer dizer que eu não consiga fazer o mesmo. Eis-me aqui! E você é minha! Você sempre foi minha! Eu te dei o meu amor, a minha vida!! Não negue que você me ama, essa é a verdade! E não chore desse jeito, as suas lágrimas não são de dor, você nem sabe o que é dor.... vou te dizer o que é: é o que eu passei quando soube da sua fuga ridícula! Foi o que eu passei por sua causa! Você não sabe o que é dor...

...

- Isso é dor, mas é apenas físico, porque posso continuar puxando seus cabelos até arrancá-los e não será a mesma coisa! Posso rasgar sua pele com minhas unhas... Vê como dói? Está gritando de dor, chorando... e não adianta implorar, Joana! Você ainda não sabe nem da metade do que eu passei nesses últimos meses!

- O que está acontecendo aqui??

- Ah, chegou o demônio! Vim buscar o que é meu, Augusto!

- Joana, o que ele fez com você? Está sangrando!

- O que eu fiz com ela? O que vocês fizeram comigo?


A discussão terminou em tragédia. Joana permaneceu em silêncio porque estava doente e sua voz havia sumido. Ela ainda amava seu marido e não havia realmente fugido com Augusto. Ele é quem a havia sequestrado e levado para fora do país. Seu sadismo doentio a havia feito sofrer como nunca, torturas, brigas, agressões. Esse era o sentimento que Augusto dizia ser seu amor. Joana não conhecia esse lado de Augusto. Na verdade, ela fora influenciada por ele, atraída por todas as suas promessas de amizade. Mas no fim teve sua vida arruinada por ele. Foi tirada do marido sem ter como revidar, sem ter forças para lutar. Todos os seus desejos foram silenciados, todos os seus sonhos tornaram-se pesadelos... e seu marido, a quem tanto amou, acabou sem entender o que havia acontecido. Fora executado por Augusto, que se suicidou depois que viu Joana pôr fim em sua própria vida ao ver seu amor perdendo sangue no chão, inerte. A culpa que invadiu seu coração a fez perder o controle como nunca, a fez enxergar os erros, tanto os seus como o de todos os que participaram do episódio macabro. Mas ela culpou somente a si, afundando o punhal em seu peito, adormecendo enquanto ouvia a voz de Augusto gritando de agonia. Talvez tenha doído mais nele, com seu egoísmo de querer ter tudo para si, jamais pensando num desejo sequer dela. Mas não cabe a mim julgar ninguém, pois todos somos responsáveis pelo rumo que nosso destino toma. A história de cada um de nós, o que nos acontece... Somos responsáveis por cada passo, por cada ação. Então não basta tomar a culpa para si ou jogá-la para o mundo. A culpa, no final de tudo, é algo que vai ficar para trás como as folhas que caem no outono, como o sangue que estanca no chão.




Jejels, 2009.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Lose control

You don't remenber my name
I don't really care
Can we play the game your way?
Can I really lose control?

Just once in my life
I think it'd be nice
Just to lose control, just once
(With all pretty flowers in the dust)

Mary had a lamb
His eyes black as coals
If we a play very quiet, my lamb
Mary never has to know

Just once in my life
I think it'd be nice
Just to lose control, just once

If I cut you down to a thing I can use
I fear there will be nothing good left of you

(lose control, just once...)




Evanescence.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

It's not a fashion statement, it's a deathwish

For what you did to me,
and what I'll do to you,
you get,
what everyone else gets,
you get a lifetime!

Let's go!

Do you remember that day when we met
you told me this gets harder
well it did!
been holding on forever,
promise me that when I'm gone you'll kill my enemies,
the damage you've inflicted temporary wounds
I'm coming back from the dead and I'll take you home with me
I'm taking back the life you stole

We never got that far,
this helps me to think all through the night
bright lights that, won't kill me now, or tell me how
just you and I, your starless eyes remain.

Hip Hip Hooray for me, you talk to me, but would you kill me in my sleep
lay still like the deadfrom the razor to the rosarywe could lose ourselves
and paint these walls in pitchfork red

I will avenge my ghost with every breath I take
I'm coming back from the dead and I'll take you home with me
I'm taking back the life you stole

This hole that you put me in
wasn't deep enough
and I'm climbing out right now
you're running out of places to hide from me

when you go
just know that I will remember you
if living was the hardest part
we'll then one day be together
and in the end we'll fall apart
just like the leaves change in colors
and then I will be with you
I will be there one last time now
when you go
just know that I will remember you

I lost my fear of falling
I will be with you
I will be with you.




My Chemical Romance.

sábado, 11 de abril de 2009

Wishes

Somewhere in the ocean
There's a shining star
Lost so far
Waiting for someone.

Time's buried her
Into the sea
And she won't be seen
As she's burned.

Now little wishes
Invade her soul
The dream finishes
To soothe me.

Somewhere in the ocean
I found a shining star
In the dark
Killing my emotions.

The shinig star falls
Crossing the dark sky,
Becoming someone new...
Make my dream come true.

Now little wishes
Invade her soul
The dream finishes
To soothe me.

Now all my wishes
Found a reason,
Life's not finished
In this ocean.


Jejels, 11/04/2009.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

07/04/2009

Dois anos dessa história
Que remetem
Simplesmente
A uma só memória.

Lembro dos dias tristes
Lembro dos dias de glória
Lembro do céu estrelado
Ou da beleza da aurora.

Apenas um sorriso
Apenas um olhar
Quem diria
Que eu iria
Subitamente apaixonar.

Lembro do seu beijo
Lembro da sua voz
Lembro do desejo
Desse sentimento atroz.

Eu amo
E clamo
Pelo amor
Por favor
E chamo
Pela voz mais bela
O fogo da vela.

Nenhum sentimento cabia
Mas me tornou dia
Seu doce olhar
Jéssica
Apenas uma promessa poderei te dar
A de que para sempre, eternamente
Irei te amar.




Christian Oncken, abril de 2009.

sábado, 4 de abril de 2009

Mundo Putrefato

Os homens mentem,
Desiludindo docemente
As Mulheres masoquistas,
Elas lutam,
Amam,
Odeiam,
Traem,
E voltam,
Para receber mais um golpe do flagelo.

Os ricos sugam,
Sem dó nem piedade,
Dos que trabalham
O sangue,
Suor,
Lágrimas,
Esforço,
E lucro
Para dar-lhes o salário singelo.

Os Reis Governam,
Com Mãos de Aço,
O povo que implora por pão
E Recebe,
Ferro,
Fogo,
Espada,
E impostos
Para aplicar-les impiedoso cutelo.

Os padres mentem,
Com cinismo implacável,
Às ovelhas que os seguem,
Prometem almas,
Paraísos,
Infernos,
Purgatórios,
E Indulgências,
Para enganar-lhes com seu tartamelo.

Por quê?
Por que assim falou Zaratustra.



Isidoro Eduardo A. do Brasil.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Poema

Às vezes penso como se estivesse a sonhar
tu és tão bela e eu tão tolo
tão tolo de me apaixonar

Minha vontade de te ver
ser
estar
vontade simplesmente de poder te admirar

Me deixaste simplismente doente
doente de ansiedade
o coração bate latente
mesmo sem te conhecer tão bem mas o que sinto é de verdade

Uma coisa abalou-me de forma enérgica
nunca senti algo assim
não tenho a certeza em mim
mas tu és tudo que um homem pode querer
e pode querer ser
Jéssica.




Christian Oncken, abril de 2007.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Real Nightmare

Sometimes you think
It could be different
But it just can’t.

Sometimes I wake
It’s midnight
It wasn’t a nightmare
Because I was awake.

All I wanted was living,
But you tear me away…
I cannot hide from you
And there’s nothing more I can say.

Sometimes you hide
To find a place to cry
But you don’t know why.

We could just not lie,
You didn’t try
I wish I could tell you
But I lied too.

All I wanted was living,
But you tear me away…
I cannot hide from you
Anymore.

Why does it have to be like this?
You know you don’t belong
And I know I’m still asleep
I won’t wake from this dream
Though I think it’s a nightmare
What are you doing here?
I can hear
I can feel
You’re everywhere.



Jejels, 02/04/2009.