segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Pensar-te

Penso em querer-te,
Mas não te quero pensar.

O pensamento afasta-me
Da vida que me quer
Ainda em vida.

Não te devo pensar
Se ao pensar-te
Não chego perto
De seu pensamento – mistério teu, lamento meu.




Rafael Daher, dezembro de 2009.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Charles Chaplin

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.







Charles Chaplin.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Nostalgia

A melodia serena
Era composta por harpejos harmônicos
Que me faziam lembrar os beijos
Que figuravam a felicidade plena.

Era como sentir a memória,
Uma leve brisa a soprar meu rosto,
Uma leve umidade em meus olhos
Que vinha ao relembrar a história.

Quanto tempo se passou
Desde que estou aqui?
Quantos sorrisos já estamparam minha face
Desde que sonho com esse oasis?

A cada nota, mais um sentimento;
A cada acorde, mais uma lembrança...

E a tarde se desenvolve
Nesse cenário denso, mas suave,
Cheia do passado
Que naquele momento era relembrado.

E fecho os olhos embalada pelo som
Do violão cujas vibrantes cordas
Minha mente acordam
Para um mundo irreal...

Esse meu paraíso ideal.




Jejels, 12/12/2009.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Lágrima

Denso, mas transparente
Como uma lágrima...
Quem me dera
Um poema assim!
Mas...
Este rascar de pena! Esse
Ringir das articulações... Não ouves?!
Ai do poema
Que assim, escreve a mão infiel
Enquanto - em silêncio - a pobre alma
Pacientemente espera.




Mário Quintana, 1997.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Paz interior

A calma azul expande-se
Numa nuvem etérea que paira
Sobre mim.

E grande é o sentimento de durabilidade,
O sentimento de ter-te
Perto de mim.

E mergulho nessa volátil sensação,
Nessa nuvem espessa de tranquilidade
Que é a tua presença em alma e coração
Embalando-me na eternidade.



Jejels, 09/12/2009.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Cárcere das almas

Ah! Toda a alma num cárcere anda presa,
Soluçando nas trevas, entre as grades
Do calabouço olhando imensidades,
Mares, estrelas, tardes, natureza.

Tudo se veste de uma igual grandeza
Quando a alma entre grilhões as liberdades
Sonha e, sonhando, as imortalidades
Rasga no etéreo o Espaço da Pureza.

Ó almas presas, mudas e fechadas
Nas prisões colossais e abandonadas,
Da Dor no calabouço, atroz, funéreo!

Nesses silêncios solitários, graves,
que chaveiro do Céu possui as chaves
para abrir-vos as portas do Mistério?!



Cruz e Sousa.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Memória

E agora, nesse obscuro tempo do presente,
Tão apressado, tão efêmero,

Percebo o que vem sendo deixado para trás.

A alegre luz colorida,
Amigos de infância,
Aquela dolorosa ferida
Que o tempo curou...

Alguns detalhes se perderam
E outros foram criados
Com os segundos que se esqueceram
De como parar de passar.

Assim mergulho no conforto,
Dou uma pausa no confronto
Do que vivo agora
Voltando alguns anos - ou apenas meras horas.




Jejels, 05/12/2009.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

O anjo

Havia um buraco,
A concreta visão do vácuo,
A ausência de preenchimento no espaço.

O vazio era profundo,
Algo que sugava meu mundo
E tornava todo som mudo.

Havia uma nuvem,
A sombra que cobre o homem,
A neblina que encobre a luz do ontem.

O frio era severo,
Algo que congelava o eterno
E tornava todo som etéreo.

E então veio a escuridão.

E há, agora, um anjo.
Suas asas afagam meu rosto
E seus olhos tornam belo tudo o que vejo.
.
O amor é divino,
Algo que alimenta o que sinto
E torna esse momento infinito.




Jejels, 03/12/2009.

Basta mudar a si mesmo para mudar o mundo

Um jovem sonhava em mudar o mundo. Investiu muito tempo da sua vida para realizar esse ideal. Com o passar dos anos, percebeu que a proposta era ampla demais e restringiu seu sonho a mudar seu país. Depois de trabalhar algum tempo para isso, convenceu-se de que era muito difícil mudar o país, e pensou em mudar sua cidade. Mas aí também se frustrou e procurou mudar sua família, tentando ensinar-lhe a melhor maneira de resolver os problemas; porém ninguém lhe dava atenção, alegando que ele não conseguia nem mesmo resolver os seus. O tempo passou. O jovem tornou-se ancião, sem nada ter conseguido mudar. Um dia, sentindo-se triste, ao analisar sua vida e o motivo de seu fracasso, concluiu: "Se eu tivesse começado por corrigir meus próprios erros e me transformando, talvez minha família, vendo meu exemplo, também tivesse mudado. Minha família transformada poderia mudar a vizinhança, que mudaria a cidade, o país e de repente o mundo inteiro".

A transformação do mundo exterior virá como consequência da transformação do seu mundo interior.






Anônimo.