domingo, 7 de março de 2010

Consolo

Estendo meus braços
No intuito de envolver-te
Para que em meu abraço
Possas sentir-te seguro.

Pois não há ameaças
Com o poder de nos vencer;
Simplesmente não há nada
Com esse poder.

Então deixa-me ser o guia agora
- Ao menos uma vez -
Enquanto mais uma lágrima aflora,
Deixa-me trazer de volta a sensatez.

Deixa-me segurar tua mão,
Passar a ti as minhas forças,
Remendar teu coração,
Tua alma tão moça.

Deixa a minha presença enxugar teu rosto
E trazer alguma luz ao teu pranto,
Varrer a submissão que te haviam imposto
E vestir-te da confiança o manto.

E aqui, sempre estarei
- Ao teu lado -
Ajudando a carregar o fardo,
Na certeza de que para sempre te amarei.




Jejels, 07/03/2010.

Um comentário:

chris disse...

quero sempre poder me encontrar com seu afago , para que minhas lagrimas sejam lavadas do meu rosto