terça-feira, 13 de julho de 2010

A anos luz

Presa aos seus olhos,
Jamais me esquecerei de como é a luz
Aquecendo minha pele nos dias de sol
Como um acolhedor cachecol.

A proximidade transformou-se em distância,
Estou a tantos anos luz de você
Que nem em um milênio seria capaz de percorrer
Essa trilha de drama e angústia.

Quando foi que deixamos isso acontecer?
Quando foi que troquei por planos
Todos os meus sonhos do anoitecer?

Quisera eu continuar vivendo
Junto ao meu sonho alado,
Meu irreal açucarado
Que agora está morrendo...

As asas derreteram,
A mágica chegou ao fim,
Os momentos difíceis cresceram
E chegaram ao seu estopim.

Meus desejos foram marcados num calendário
Em que os dias de glória nunca chegam,
Como um compasso binário
Cujo primeiro tempo está marcado por uma fermata.

Estou desgastada,
Cansada de tanto tentar aproximar os ímas...
Algum de nós inverteu o próprio polo,
A força eletromotriz está alterada.

A proximidade dissolveu-se,
Estou a anos luz de você,
Meu coração perdeu-se
No meio do caminho de te ter.



Jejels, 13/07/2010.

Um comentário: