sábado, 10 de julho de 2010

O grito


A voz era doce,
Aveludada,
A mesma voz que me ninava,
Que sussurrava aos meus ouvidos...

Esta mesma voz que me acalmava,
Que me consolava,
Explodiu em raiva.



Jejels, 10/07/2010.

Nenhum comentário: