sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Confissão

Finalmente dei vozes aos sentimentos dentro de mim e falei que, na verdade, havia me apaixonado por ele.

Eu sabia que era estupidez, sabia que jamais deveria ter dito algo assim. Porque eu tinha certeza de que ele sentia o mesmo. Não sei o que deu em mim. Tenho um namorado maravilhoso que me ama incomensuravelmente. Se fosse preciso, sei que Josh daria a própria vida por mim... e no entanto, tinha acabado a dizer a Ray que estava apaixonada por ele. Não faz sentido! Desde que nos encontramos, fez-se uma grande desordem em meu coração, meus sentimentos começaram a tomar um rumo totalmente sem lógica. Principalmente porque eu amo Josh... será que é possível estar apaixonada por duas pessoas?

Eu havia tentado fugir disso. Afastei-me de Ray, parei de telefonar, cortei contato por alguns dias, mas chegou a um ponto insuportável. Fiquei inquieta até voltar a falar com ele. Era impossível me afastar e a essa altura, eu já tinha descoberto que estava apaixonada, que não conseguiria ficar longe dele novamente.

E lá estava eu, assumindo essa paixão... esse sentimento controverso, sem nexo, proibido que eu guardava em meu peito. Meus batimentos aceleraram, meu sangue latejava, minha cabeça rodava sem acreditar que eu realmente tinha dito aquilo. Tive vontade de desaparecer, toda a coragem que eu tinha reunido para fazer a confissão havia se esvaído e foi substituída por um silêncio pesado enquanto ele me olhava.

Sua expressão dizia que ele também não estava acreditando no que tinha ouvido e seus olhos me encaravam com uma expressão de descrença que me deixou mais desnorteada ainda. Ele não disse nada, apenas continuou me observando por longos minutos, como que processando as palavras, letra por letra.

O tempo parecia arrastar-se e meu desespero só aumentava. Pensei que sua reação seria previsível, mas agora estava tudo fora de controle, qualquer coisa poderia acontecer.

Pensei em Josh, no quão desapontado ele se sentiria ouvindo isso. Pensei nos momentos que passamos juntos, amaldiçoei-me por estar arriscando perder tudo. Pensei em como contar a ele e no quão egoísta eu estava sendo fazendo aquilo...

Foi quando Ray segurou meus ombros, aproximou-se de mim, fechou os olhos e não consegui pensar em mais nada.




Jejels, 15/10/2010.

Pauta para a 15ª edição do projeto In Verbis.

2 comentários:

Marina disse...

Jejels isso é so um romance q vc escreveu ou mais?

JeJeLs disse...
Este comentário foi removido pelo autor.