domingo, 31 de outubro de 2010

Nossa promessa

Em meio a carros destruídos,
Corações falidos
E escuridão completa,
Andamos em linha reta.

O vento frio da noite sopra em nossos rostos,
Seguro sua mão para não me perder,
Pois tudo pode acontecer
Vindo desses monstros.

Descobrimos que os mortos caminham,
Descobrimos que não podemos confiar em ninguém.

Mas no meio dessa loucura,
Mesmo com o controle destroçado
E com pesadelos nos rondando,
Tenho você ao meu lado.

E quando tudo parece perdido,
Procuro em minha memória o que você tinha dito,
A promessa se mantém:
"Vamos ficar bem."



Jejels, 31/10/2010.
~ De Rebeca para Augusto.

Nenhum comentário: