sábado, 28 de agosto de 2010

Dentro de mim


As cartas foram rasgadas pelo tempo
E o calor do olhar esfriou com a distância;
A distância aumentou sem se pronunciar
E assim desmoronou o entusiasmo.

E nada disso está no âmbito físico;
É no nível da alma que tudo aconteceu.

Já não sei o que fazer,
Não sei mais como atravessar o caminho
Para chegar até meu ninho,
Até aquele lugar onde me sinto acolhida,
Protegida...
Amada.

Dentro de mim
É onde tenho estado ultimamente.

O probelma é que não há mais flores,
Cor,
Movimento
Ou música:
Tudo ficou congelado,
Perdido em algum lugar do buraco negro em meu coração.




Jejels, 28/08/2010.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Soneto para "a" ipê

Janela,
Minh'alma,
Na beira da rua.

Uma flor amarela,
Quando a vejo,
Em pleno inverno.

Tão linda,
Minha namorada,
Platônica,
Na calçada.

Estou feliz por esses dias,
E corro no tempo...
Querendo mais...
... duas flores caídas no chão.





Maramaldo.

(retirado de http://www.retornodasbrisas.blogspot.com )

sábado, 21 de agosto de 2010

De volta

Colocar para fora me ajudou,
Mesmo com todas as dificuldades,
Com todos os meus preconceitos,
Com todas as minhas imagens.

No começo, eu não quis,
Mas você segurou minhas mãos
E me mostrou que não havia razão
Para ocultar e esquecer.

Colocar para fora me ajudou
A me encontrar novamente,
A ver que em seus olhos, profundamente,
Era o meu lugar.

Você é aquele quem eu esperava,
A outra metade,
Aquele que me salva
De mim mesma.

E voltei a mim,
Sem mais desvios,
Voltei ao caminho
De onde eu vim.

Aquela sensação estranha
De que eu não era mais a mesma
Desfez-se junto ao drama
Que me puxava para fora.

E nos teus braços encontrei meu ninho,
Meu lar, minha concha,
O conforto e o carinho
Do nosso olhar.

E quando ocorreu o ósculo,
Alegrei-me ao perceber
Que meu peito acelerou,
Trouxe-me de volta ao que eu costumava ser.




Jejels, 21/08/2010.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Caminhando

Ela caminha.

Uma linha,
Sua sombra,
A barreira constante.

Um pilar atrás do outro
Sustentando o ritmo desse caminhar.

O jogo de luz e sombra,
Na penumbra,
A me guiar.



Jejels, 20/08/2010.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Filosofia da janela fechada


Não basta abrir a janela
Para ver os campos e o rio.
Não é bastante não ser cego
Para ver as árvores e as flores.
É preciso também não ter filosofia nenhuma.
Com filosofia não há árvores: há ideias apenas.
Há só cada um de nós como uma cave.
Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora;
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,
Que nunca é o que se vê quando se abre a janela.



Alberto Caeiro, 1925.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Lição de arquitetura - para Oscar Niemeyer

No ombro do planeta
(em Caracas)
Oscar depositou
para sempre
uma ave uma flor
(ele não fez de pedra
nossas casas:
faz de asa).

No coração de Argel sofrida
fez aterrissar uma tarde
uma nave estelar
e linda
como ainda há de ser a vida.

(com seu traço futuro
Oscar nos ensina
que o sonho é popular).

Nos ensina a sonhar
mesmo se lidamos
com a matéria dura:
o ferro o cimento a fome
de humana arquitetura.

Nos ensina a viver
no que ele transfigura:
no açúcar da pedra
no sonho do ovo
na argila da aurora
na pluma da neve
na alvura do ovo.
-Oscar nos ensina
que a beleza é leve.





Ferreira Gullar.

Buscando

Busco o alaranjado do pôr-do-sol
Que mancha as nuvens
Livres e leves.

Busco aquela vibração do céu estrelado
Que se revela aos poucos,
Sereno e breve.

Busco o segredo silenciado,
O suspiro que exala
A emoção do calado.



Jejels, 02/08/2010.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Perdida

Andar inquieto,
Jamais parando em um único lugar,
Meu corpo sente-se rejeitado pelo espaço,
À procura de algo que está distante,
Cuja materialização é impedida pelo tempo.

O desconfortável desencontro:
A necessidade dessa presença
Modifica tudo ao meu redor
- e dentro de mim -,
Bagunça meus dias, abala meu peito
Incansável a buscar esse eixo,
Essa referência maior.

Andar desvairado,
Um ímpeto desesperado
De voltar a ter o que se tornou passado,
Aquilo que acabou ficando guardado
Longe de mim.




Jejels, 03/08/2010.