quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Luciana

A cada dia,
Descubro-te.

Percebo-te diferente,
A cada dia, mais radiante,
A cada noite, mais deslumbrante.

Que beleza brota de tua imagem!
Que ternura de teus olhos transborda!
Que atenção desperta no pajem!
Que tristezas esse olhar aborta!

A cada dia,
Descubro-te.

Percebo-te diferente,
A cada dia mais bela,
A cada noite, mais magnífica que estela...
Uma verídica estrela!


Jejels, 29/12/2010.

Quiséramos

Quisera a noite
Passear por teus olhos,
Vasculhar teus sonhos
Na tua sombra onírica.

Quisera ela
Entrecortar tuas palavras,
Descobrir tuas mágoas
Na tua história maculada.

Quisera a noite
Bagunçar teus cabelos,
Alimentar teu medo
De perecer em sua penumbra.

E quisera eu
Não ser como esta noite
Que ao contrário do meu desejo,
Em algumas horas, perecerá.



Jejels, 29/12/2010.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

World behind my wall


It's raining today, the blinds are shut.
It's always the same.
I tried all the games that they play,
But they made me insane.
Life on TV is random,
But it means nothing to me.

Oh, oh,
They're telling me it's beautiful,
I believe it, but will I ever know
The world behind my wall?
Oh, oh,
The sun will shine like never before,
One day I will be ready to go
See the world behind my wall.

Trains in the sky are travelling
Through fragments of time,
They're taking me to parts of my mind
That no one can find.

I'm ready to fall,
I'm ready to crawl on my knees to know it all,
I'm ready to heal,
I'm ready to feel.



Tokio Hotel.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Fortaleza

Os dias ficaram mais coloridos,
De repente, o sol ganhou mais brilho...

E aqui, a terra da saudade
Tornou-se local de felicidade
Com um brilho caramelado,
Olhos apaixonados.

Onde brotavam lágrimas,
Ergueram-se fortalezas de sorrisos
Que encheram-me de lembranças
E de esperança.



Jejels, 27/12/2010.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

...

enquanto o orvalho
cai dos olhos da noite
sou eu o espantalho
o solitário
o que restou na escuridão
sou eu quem resiste
sou eu quem espera
morro em cada um dos meus sonhos
em cada palavra da poesia
em cada gota de chuva
em cada primavera
os primeiros raios de sol
se debruçam na janela
na cama vazia
nos lençois frios
nos cobertores de lã
sou eu o perdulário
o ladrão dos beijos
o incendiário da manhã
sou eu quem nunca dorme
quem sempre mente
quem faz arder o peito
sou eu o sujeito
o causador das lágrimas caídas
o dono da saudade reticente
o eterno culpado pelas despedidas.



Jose Luis (retirado de http://slowdown.com.br/ )

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Subterrâneo

Nervosismo,
O coração disparado...
Olho para os lados
Tentando tudo captar.

Estou sozinha
A uma velocidade impressionante,
Num estado exorbitante
De acúmulo de adrenalina.

Deveria eu estar aqui?
Deveria fazer isso?
A culpa não deveria existir,
Já estou no meio do caminho.

No túnel escuro,
Com olhos atentos,
Sumi de meu mundo
Por alguns momentos.


Jejels, 14/12/2010.

Palavras

Ouvir aquelas palavras
É como ser empurrada,
Jogada ao abismo
Que eu mesma cavei.

Mesmo que agora seja passado,
Constituiu-se em um fato,
Algo concreto
Que não pode mais ser apagado.

E por mais que esteja tudo bem,
Sei que sou alguém
Que já não valeu a pena,
Que desequilibrou a cena.

Ouvir essas palavras
Faz-me sentir o quanto isso pesa,
O quanto nos machucou
A morte da promessa.



Jejels, 14/12/2010.
Pauta para a 68ª edição poemas do Bloínquês.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Innocence


Waking up I see that everything is OK
The first time in my life
And now it's so great
Slowing down, I look around and I'm so amazed
I think about the little things that make my life great
I wouldn't change a thing about it
This is the best feeling.

This innocence is brilliant
I hope that it will stay
This moment is perfect
Please, don't go away
I need you now
And I'll hold on to it
Don't you let it pass you by...

I found a place so safe, not a single tear
The first time in my life
And now it's so clear
Feel calm, I belong, I'm so happy here
It's so strong and now I let myself be sincere
I wouldn't change a thing about it
And this is the best feeling.

It's the state of bliss you think you're dreaming,
It's the happiness inside that you're feeling,
It's so beautiful it makes you wanna cry.





Avril Lavigne.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A porta fechada

Eu caminho por corredores,
Observo as paredes
A cada dia diferentes...

Texturas que se modificam,
Cores que o tempo desbota
No corredor por onde meus pensamentos vagam.

Até que um dia,
Decidi ir mais longe.
Encontrei uma porta diferente,
E, de certa forma, atraente...

Curiosa como sou,
Vou de encontro à maçaneta,
Percebendo, com uma careta,
Que ela não se movimentou.



Jejels, 08/12/2010.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ciclos

Movimentos cíclicos
Exigem de meus músculos
Força para continuar,
Força para movimentar.

Palavras cíclicas
Exigem de meus nervos
Força para não gritar,
Força para não surtar.

Situações cíclicas
Exigem de mim
Força para não virar as costas
E, simplesmente, ir embora.


Jejels, 07/12/2010.

Ludibriada

Eu acreditei mais uma vez,
Confiei que seria diferente
E caí novamente
Com o mesmo sentimento frustrante.


Jejels, 07/12/2010.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Fluindo


Sinto meu corpo
Cheio de energia,
Cheio de sentimento
Querendo entrar em sintonia
Com esse sopro de música.

O espaço ao meu redor
Parece ampliar-se,
Tornar-se cada vez maior
Com meus movimentos.

Com um começo lento,
Vou soltando os braços,
Entregando-me à dança
A cada passo.

Sutilmente, transformo-me,
Modifico as expressões,
Deixo fluir de vez
Tudo que há em mim.



Jejels, 02/12/2010.