sexta-feira, 11 de março de 2011

Cabelos negros

Os ponteiros movem-se rapidamente
Numa dança incansável,
É implacável,
Impossível pará-los.

E com toda essa adrenalina,
Com a ideia errônea,
Cresce minha sina,
Vem à tona minha insônia.

Apesar do tempo que voa,
Aquela imagem ficou congelada,
Em minha memória conservada
Fio por fio.



Jejels, 06/03/2011.

Um comentário:

Um brasileiro disse...

ola. estive por aqui. muito legal. gostei. apareça por la. abraços.