sábado, 26 de março de 2011

Desmoronando

Um boneco numa estante esperando por uma idéia que nem sabe se será real ou possível.

Mesmo que eu não queira, é assim que eu o faço sentir-se.

Injusta? Fria? Egoísta? Amoral?

Talvez eu seja isso e muito mais.

Talvez eu merecesse muito mais do que o sofrimento que senti hoje, ouvindo essas palavras. Talvez eu mereça muito mais que sua repetida ordem de soltá-lo. Talvez eu mereça mais que palavras ríspidas despejadas num tom afiado como uma agulha a afundar em meu peito.

E realmente começo a achar que mereço mesmo que meu mundo desbote-se numa escala cinza, as cores todas diluídas no sentimento de culpa que varre de dentro de mim toda a sensação de leveza que antes aqui habitava.

Chegou ao fim a atmosfera que eu havia construído sozinha. O bombardeio das suas palavras fez com que ela desmoronasse ao ter contato com o que havia dentro de você... os sentimentos que passaram para mim através do seu toque e que eu logo reconheci como frutos das sementes que eu mesma plantei.



Jejels, 26/03/2011.

Nenhum comentário: