domingo, 20 de março de 2011

Finito

Que dor inflama
Tão intensa, implacável
Quanto a de quem ama
Uma realidade inalcansável?

Queria eu apenas adormecer,
Perder-me no amanhecer inocente,
Mas não posso me dar ao luxo de esquecer

Que nada dura para sempre.



Jejels, 20/03/2011.

Pauta para a 46ª edição de poemas do Bloínquês.

2 comentários:

Bell Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bell Souza disse...

Avaliação Detalhada:

Ortografia impecável, texto objetivo, coeso, dotado de sentimentos, com uma simplicidade lírica na rima. Só faltou mais objetividade no tema.

Moderação Poemas - Bloínquês.