sábado, 2 de abril de 2011

Brilho

A chuva caía,

A atmosfera nublada não me afetava,

Apenas aumentava a alegria

Que você me fazia sentir.

E eu me sinto leve,

Sinto-me livre,

Sinto que posso ser tudo o que eu quiser.


Complicações no coração,

Quem é que não tem? Então você apenas segurou minha mão

E me ensinou a esquecer o ontem.


Por que me preocupar com o que passou

Se tenho o dia de hoje inteirinho para viver?

Não posso mentir nem mudar o que sou

A não ser para alcançar o que quero ser.


E eu deixo a chuva cair,

Eu deixo as nuvens virem me cobrir

Porque com você eu aprendi Que posso ser mais que tudo,

Que posso mudar o mundo.


Como poderia eu desprezar tal sentimento?

Como poderia eu dizer que me arrependo?


Na noite estrelada, tudo parecia tão certo,

A nova realidade parecia tão perto

Que era irresistível sorrir

Com seus olhos pousados em mim.


E desse modo tão simples,

Com essa sinceridade que me sonda,

Você modelou-me onda,

Fluida de toda liberdade,

Livre de toda maldade

Que alguém poderia me causar.

Você me deu pincéis e cores

Para que eu pintasse minha própria vida,

Para que eu desse asas aos meus sonhos,

E então, tornei-me lívida,

Você abriu meus olhos e então pude perceber

A luz que de mim irradiava no anoitecer.


Reergui-me desse modo,

Num processo de libertação

Que me fez acender por dentro

E perceber, livre como o vento,

Que você tocou meu coração.

Jejels, 02/04/2011.

Nenhum comentário: