sexta-feira, 29 de abril de 2011

Descrença

Mais um dia enfadonho,
Ela caminhava continuamente
Em busca de um sonho,
Os pés no concreto aparente.

Tudo parecia impossível,
Sua mente em ventania
Dizia ser tudo inacessível,
Algo que ela não merecia.

Acostumada a chorar baixo,
A manter o olhar no chão,
As lágrimas formando um riacho.

E mantinha aberta cicatriz,
Afundando em si mesma
(Tinha medo de ser feliz).





Jejels, 29/04/2011.

Pauta para a 36ª edição poemas do Bloínquês.


Um comentário:

Bell Souza disse...

Ortografia: Há alguns problemas na estrutura, mas nada grave. Reveja a pontuação. A maioria dos pontos e das vírgulas que você utilizou é dispensável. Atenção com as palavras escolhidas. elas podem beneficiar a rima e aumentar a sonoridade do escrito. Por mais que se tenha um poema rico em criatividade, é preciso ficar atenta aos modo como as palavras fluem.
Rima: Perdeu um pouco. A terceira estrofe soou confusa e as vírgulas da primeira, segunda e terceira estrofe dificultaram o fluxo da leitura. A construção inicial está muito boa, mas a última estrofe acabou deixando o tema apagado.
Adequação ao tema: Estava tudo indo bem, os sentimentos retratados de forma dinâmica, mas a última estrofe quebrou um pouco da lógica inicial.
Criatividade: Um belo poema, mas precisou de mais atenção na estrutura.
- essas são as minhas observações. Qualquer dúvida ou indagação é só entrar em contato.
Att, Moderação Poemas.