sexta-feira, 20 de maio de 2011

Necessário descompasso




Dentre os raios dourados
De resplandecente luminosidade
E o escuro por eles ofuscado
E rejeitado sem piedade
Move-se o mundo
Num oscilar profundo.

Para que haja vitalidade,
É preciso esse confronto,
É preciso esse contraste,
É preciso esse contraponto.

Harmonia e caos
Opondo-se incessantemente
Como os que chamam de bons e maus
Numa batalha ardente.

Jamais vencerá qualquer dos lados
Nesse eterno carrossel desvairado,
Nessa dança intermitente
Do universo descompassado.







Jejels, 20/05/2011.

Pauta para a 39ª edição de poemas do Bloínquês.

Um comentário:

Bell Souza disse...

Vamos lá,
Seus poemas são sempre pontuais, cheios de significado e harmonia.
O tema abordado se destacou dos demais e o ritmo correu ligeiro, mas sem pressa de acabar.
Tecnicamente falando é um poema maravilhoso e forte.
Moderação Bloínquês.