segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Divagações sonoras

Se a frequência dos seus sussurros correspondessem àquela com a qual eu gostaria de ter você ao meu lado, não poderia ouvi-los, seriam ultrasons. Além disso, o comprimento de onda que nos envolve quando ouço esses sussurros é tão pequeno que sinto como se ela desse um nó em volta de nós, mas um nó tão apertadinho, que sinto sua respiração no meu ouvido. A intensidade com que essa onda provoca sentimentos em mim iria torná-la inaudível, pois excederia os limites de audibilidade.
Concluo então que não sou surda, apenas não ouço o que se passa entre nós por não ser possível... por ser um amor silencioso que brota em meu peito, um amor que vai além dos sentidos do meu corpo. Como falar de um sentimento que floresce no âmbito de minha alma, tão subjetivo e metafísico quanto o mero pensamento na existência dele?



Jejels, 15/08/2011.

Um comentário:

karecavader disse...

Muito legal, bom texto