segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Manhã nublada

Névoa da manhã,
Meu colibri,
Quase me esqueci.

O aurora desperta escuro,
Nuvens por todos os lados
Encobrindo meu futuro.

Aqui fora o vento sopra
E esqueci, eu me esqueci
De que assim não há sobra.

A umidade na medida,
A luz escondeu-se, tímida
No vapor da minha nuvem cinza.

Névoa da manhã,
Meu colibri
Canta num tom menor de si.

Se quiser voar...
A nuvem está logo ali.



Jejels, 26/09/2011.

Nenhum comentário: