domingo, 25 de setembro de 2011

Meu amor

Minha vida está tão intensa, cada emoção única ocupa seu lugar em meu coração e domina-me por completo. E assim pareço mais viva, mais aberta a tudo o que se apresenta a mim, tudo parece ser importante, mesmo o mero ruído de um sorriso parece a chave para a felicidade.

Desde que você sorrateiramente passou a segurar minha mão, o mundo adquiriu outras proporções, tudo parece ter uma conexão tão clara e uma solução tão simples. Os problemas parecem tão fúteis e dissolvíveis quando estou com você e encontrar seus olhos com os meus rega essa semente de sorriso que você plantou em mim naquele dia em que escrevi para você uma carta, ainda tão insegura de mim, tão incerta do que estava acontecendo. Eu contei em palavras estruturadas em tinta preta tudo o que estava fermentando dentro do meu coração, todo o alvoroço que a sua presença me causava. E depois de ler cada cantinho escuro de dentro de mim que eu expressava ali, você simplesmente amassou o papel e seus olhos se encheram de lágrimas. Então senti seus braços longos e macios me envolvendo num abraço tão sincero que mesmo não entendendo a sua reação, senti vontade de chorar também, tão certa do carinho que estava sendo exposto ali.

Você se tornou meu novo guardião, o guarda-corpo que se ergueu diante do meu abismo. Meus dias se tornaram mais claros, minhas tardes, mais serenas e as noites, inesquecíveis. Desde então, meus sonhos apenas crescem, ganham mais volume e consistência e estão enlaçados por você, sempre você. Porque já passamos por muita coisa juntos e todos esses momentos podem encontrar um caminho para meus sonhos à noite, onde posso realizar esse desejo crescente de estar perto de você, a sós e sem nenhuma barreira a se impor entre nós. Imagens que me vêm à noite em meu sono ilustrando todo o amor que cresce em meu peito, um amor que ainda não consigo expressar completamente, mas que a cada dia procuro um jeito de embrulhá-lo numa caixa de sorrisos e toques carinhosos para te dar de presente.



Jejels, 25/09/2011.
Pauta para a 85ª edição conto/história e 87ª edição musical do Bloínquês.

Nenhum comentário: