quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Delírio Dionisíaco

Fluido convite ao Paraíso,
Os confins da mente bradam furiosos,
Reviram-se sedentos por Dionísio
Num ritual de impulsos vigorosos.

Cálido desejo pela fantasia,
O mundo não passa de hipocrisia
A sufocar o peito entre sofrimentos
- Vinde fonte de embriaguês dos pensamentos!

Em tua cor escarlate, mergulho
A vagar para um outro mundo
Onde não mais só com minha imaginação,
Mas numa taverna com um cálice seguro na mão.



Jejels, 07/11/2011.

Nenhum comentário: