quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Horizonte

Um novo dia esconde-se
Por entre as colinas longínquas,
Bem onde o sol de põe
Com o arco-íris e cores ocultas.

Um dia diferente incrusta-se
No íntimo de um diamante,
No mais rijo deles,
Impossível que se o arranque.

Um dia improvável
Apenas visível ao fechar os olhos,
Inalcançável...

Um dia perfeito
Que um dia acreditei ser real,
Agora, um aperto no peito...




Jejels, 18/01/2012.
Pauta para a 71ª edição poemas do Bloínquês.

Nenhum comentário: