segunda-feira, 5 de março de 2012

Júbilo

Quando a noite tece seu manto
Encobrindo a luz ofuscante do dia,
Veste o céu de incomparável encanto,
Inúmeras estrelas que antes escondia.

Admirada, não consigo desviar o olhar,
De repente, tudo parece tão belo,
Vagalumes brilhantes voam pelo ar,
Ao timbre claro e suave de violoncelo.

Não poderia ser verdade
A imagem de um céu tão brilhante,
Talvez tenha imaginado tal beldade.

Mas depois de me perder, um pensamento
Veio lembrar-me de que a felicidade
Transforma o céu no mais deslumbrante firmamento.



Jejels, 03/03/2012.

Nenhum comentário: