domingo, 22 de abril de 2012

Lua nova

Lago ondulante,
Poucas estrelas no céu,
Mas ca estou insone,
Letras escorrendo pelo papel.

Enquanto nesta noite descansas,
Minha mente finalmente alcança
A estante onde as ideias foram guardadas,
Rimas, versos, palavras a serem encaixadas.

Em teu sono repousas,
E eu, nesta noite de lua nova,
Desperto como mariposa
Em busca da crescente que se aproxima.

E então, ao invés do vinho escarlate,
Meu vicio, chocolate,
Mantém meus olhos abertos
Enquanto meu peito transborda em versos.



Jejels, 21/04/2012.

Nenhum comentário: