segunda-feira, 30 de abril de 2012

Poema em noite de lua

O céu derrama-se sereno
Num lento gesto de deleite,
Um entregar-se pleno
Ao subconsciente.


Noite clara
De lua iluminada,
Fantasia imaculada
A nos vestir de cor.


Teus olhos em meu semblante,
Meu pensamento distante
Pairando sobre um lago de lamúrias.


Minhas frases cansadas,
Teu consolo traduzido em palavras
E um carinho que em mim guardei.


Um tesouro, quem sabe uma carta
Em estrofes rimadas
De onírico lampejo que apreciei
E de felicidade, suspirei.




Jejels, 30/04/2012.

Nenhum comentário: