sábado, 12 de maio de 2012

Elevação

Que venham as noites de lua!
Que possamos delas desfrutar
Entre versos de completa loucura,
Frutos de delírio etéreo
Como lírios que florescem no cemitério
Onde enterram-se todas as amarguras
No âmago enraizadas,
Para que num pequeno e ébrio instante
Possamos furtar dessa lua, a plenitude brilhante.






Jejels, 10/05/2012.

Um comentário:

Bruniinhaahh lima disse...

seguindo , segue de volta