quinta-feira, 10 de maio de 2012

Meditação sob agulhas

Em um leito de rosas
Derramo minha alma
Em busca de versos
Para substituir minha prosa.


Em um fluido sereno,
Imergindo em meus pensamentos,
Buscando drenar o veneno
Que insiste em circular em mim.


Entrego-me às profundezas
Do meu próprio âmago
Para que talvez encontre as certezas
Que ficaram perdidas pelo caminho.




Jejels, 10/05/2012.

Nenhum comentário: