quinta-feira, 24 de maio de 2012

Percebo a felicidade

De repente, a felicidade se mostra
Tão fluida e leve,
Uma carícia sobre a pele,
Brisa da tarde sobre a tez,
Um raio de sol na neblina,
Uma flor que desabroxa e se aninha
Na aridez do deserto.


De repente, a felicidade germina,
Expande e contamina,
Viaja pelo ar,
Espelha-se no olhar
Daquele que a semeou.
E a mim, só resta sorrir,
Adentrar o mundo novo que descobri
Por detrás dos portões do seu amor.



Jejels, 24/05/2012.

Nenhum comentário: