segunda-feira, 14 de maio de 2012

Soneto de uma batalha

E a luta continua
Num acúmulo de fissuras,
Levando-me ao limite.


É um grito preso
No momento em que fraquejo
Com o  olhar perdido.


E é preciso recuperar o foco,
Manter-se de pé.
Se nas lágrimas me afogo,
É preciso um manto de fé.


Sim, é preciso domar a frustração
No caminho para a vitória,
Dar a vida em cada superação
Para construir um instante de glória.




Jejels, 14/05/2012. 

Nenhum comentário: