sábado, 30 de junho de 2012

Soneto numa tarde ensolarada

A luz colorindo o horizonte
De uma cidade ao entardecer,
Ofuscando os olhos de quem vê.

Campos de trigo em meus pensamentos,
Mas jamais os conheci,
Apenas imaginei e esqueci.

Não sou eu quem faz a lei
Rígida a tentar nos dirigir,
Mas os poucos que cativei
Tento deixar livres para partir.

A luz colorindo o horizonte
Inspira-me a pintar
Uma aquarela para guardar
Esse momento na memória.



Jejels, 28/06/2012.

Nenhum comentário: