domingo, 15 de julho de 2012

Formosa

Toda a noite eu deito e não consigo adormecer 
A luz se apaga e em um quarto escuro eu continuo a te ver 
Eu continuo a te ver... 
Teu cheiro está tão perto que eu não pude resolver 
Se insisto em te procurar ou se tento te esquecer 

Mais uma noite sem você, que parece nem ligar 
E eu vou dormir prá quê ?
Se eu estou a fim de me entregar... 
Já que eu não posso ter você fecho os olhos
E qualquer corpo passa a ser o seu
Qualquer corpo passa a ser o seu 

Não sei por que você prefere duvidar de quem te diz que sente a tua falta 
E não consegue ser feliz 
Eu não consigo ser feliz... 
Rolo em minha cama a noite inteira sem saber se insisto em te procurar 
Ou se tento te esquecer.



Zero.


(Música do momento...)

Nenhum comentário: