terça-feira, 28 de agosto de 2012

Abraçada pelos pseudópodes da tristeza

 
Você está no trabalho,
Estou à deriva,
Mais uma vez evasiva
Contrastando com o carvalho
Que caracteriza sua força.
 
No espelho, há uma moça
Cujos olhos não sei fitar,
Apenas vejo sua fraqueza,
Farrapos que brisa e mar
Corroeram com frieza.
 
Em meu quarto, piano, melodia,
Ao teu redor, ruído sem harmonia,
Conversação sobre negócios
Abafando essa melancolia
Que insiste em me fagocitar
Célula por célula.



 
Jejels, 28/08/2012.

Nenhum comentário: