quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Culpa-me

Culpa-me por teu desânimo.
Tantas vezes que te fiz calar
Silenciando palavra, verso, cântico.

Culpa-me por tua desesperança.
Tantas vezes que critiquei,
Censurei tua interna criança.

Culpa-me por tuas quedas.
Tantas vezes que atrapalhei
Obstruindo o caminho com pedras.

Culpa-me por teu cansaço.
Tantas vezes aumentei a carga
Tornando mais pesado teu fardo.

Só não me culpes se não consegues prosseguir.
Liberta-te da culpa.
Não resta mais nada a te segurar agora.

Culpa-me,
Nada pode te deter agora, amor.



Jejels, 23/08/2012.

~pequena inspiração em Lacrymosa, do Evanescence~

Nenhum comentário: