domingo, 23 de setembro de 2012

Fascinação



Os sonhos mais lindos, sonhei.
De quimeras mil, um castelo ergui
E no teu olhar, tonto de emoção,
Com sofreguidão, mil venturas previ.

O teu corpo é luz, sedução,
Poema divino cheio de esplendor.
Teu sorriso quente inebria e entontece.
És fascinação, amor.

Os sonhos mais lindos, sonhei.
De quimeras mil, um castelo ergui
E no teu olhar, tonto de emoção,
Com sofreguidão, mil venturas previ.

O teu corpo é luz, sedução,
Poema divino cheio de esplendor.
Teu sorriso prende, inebria, entontece.
És fascinação, amor.


Elis Regina.

2 comentários:

Igor Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Igor Melo disse...

Um disco que particularmente eu acho brilhante, realmente causa FASCINAÇÃO. Um retrato da sociedade brasileira durante uma era ditatorial, um retrato da emoção de uma brilhante intérprete. Disco alçado entre composições de Antônio Carlos Belchior e canções de grande porte, assinadas pela parceria entre Aldir Blanc e João Bosco. Devo frisar que surgia nesse disco o fenômeno musical intitulado de "Como nossos pais" (Belchior) música que marcou mais de uma geração. Também temos os sonhos e o romantismo da dupla Aldir e João, que por mais simples e profundss, fazem a alma sentir o que a poesia musicada nos diz. Por fim, a canção que fez a nossa Elis se emocionar ao cantar, "Tatuagem", assina por ninguém menos que o maior e melhor, Chico Buarque em parceria com o grande Ruy Guerra, um disco para se ouvir todos os dias, sempre, na tristeza ou na alegria. VIVA ELIS!

Agora, pequenos trechos de algumas canções do disco que escuto todos os dias.
“No presente a mente, o corpo é diferente
E o passado é uma roupa que não nos serve mais”
(Velha Roupa Colorida - Belchior)

“Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo,
Tudo o que fizemos
Nós ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Como os nossos pais...”
(Como Nossos Pais - Belchior)

As canções acima retratam a dor de uma geração, mas a esperança sempre viva por uma liberdade, que por mais que proibida, foi sonhada e retratada em canções.

“Quero ser a cicatriz
Risonha e corrosiva
Marcada a frio
Ferro e fogo
Em carne viva...”
(Tatuagem – Chico Buarque )

Simplesmente poesia e amor. VIVA A BOA MPB!

Das liebe immer in den Liedern zu leben