domingo, 7 de outubro de 2012

Teu espaço

Talvez seja para ser assim,
Talvez eu não tenha como fazer feliz.
Mesmo que eu tente,
Não se compreende
E não me contento,
Não encontro alento.

E em sentimentos, vou me afogando,
Apenas um corpo brando
A desistir de resistir;
Uma voz calejada,
Poesia recalcada,
Que escrevi em pensamento,
Mas que trouxe apenas tormento.

E se assim entro em colapso,
Sou apenas uma alma sem nexo,
Um coração perdido
Obcedado por um pedido.

Talvez mereça apenas a solidão
Por me deixar levar pela emoção,
E tão somente conseguir descansar
Com tua presença a me acariciar.

E se assim, sufoco-te,
Privar-me-ei do teu abraço.
Se é o que queres,
Eis aqui teu espaço.


Jejels, 07/10/2012.

Um comentário:

Irene Freitas disse...

Gostei muito...é o meu momento de agora!