domingo, 9 de dezembro de 2012

Montanha-russa

O escuro volta a me abraçar
Como a insegurança que invade meu coração,
A ansiedade que me põe a ofegar,
Mais uma descida ao porão.

Tão sentimental desde o início,
Não há como mudar minha essência,
Um bolo de sentimentos instável e infinito
Num ciclo de descidas e ascendências.

E juro que tento obter o controle,
Mas é minha índole,
E torna-se minha sina
Ver o quanto você me recrimina.

E talvez te faça mesmo sofrer,
Mas não consigo te fazer entender
Que é assim que eu sou...
Uma montanha-russa de euforia e dor.



Jejels, 08/12/2012.


Nenhum comentário: