quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Sentimentos

Como eu poderia externar meus sentimentos?
A angústia, incerteza, insegurança,
Essa auto-crítica destrutiva?

A cada dia, novo desafio,
A cada frustração, perco o brilho,
Os olhos opacos iluminam-se novamente
Apenas com as lágrimas quentes.

Um sorriso falso a germinar,
Máscara para proteger meu rosto ao lutar.

E vou me reunindo, 
Me concentrando,
Os litros de sentimento
Em uma só gota em meu pranto,
Uma bomba nuclear se formando,
O medo tomando conta do adágio,
Que vai se transformando num stacatto caótico,
Trágico.

E o que fazer para manter o controle?
Ou seria a liberdade a chave para resolver
E me tornar imune?

Num mar de negativos
E sufocantes espinhos,
Resta, entretanto, um calor,
Um pequeno ninho.
Um alento no meio da tormenta,
Uma luz radiante rasgando a noite sombria,
Um cometa.

Pois, se com tudo isso, terminar num buraco fundo,
Um poço sem perspectiva do futuro,
Em meu âmago continuará guardada minha sobrevivência,
Posto que o amor continuará vivo em sua ardência.


Jejels, 29/01/2013.


Nenhum comentário: