segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Sonha, noite

Sonha, noite,
Rua afora
Onde, ao longe,

Ilusão aflora.

Sonha, noite,
Em imaculados leitos,
Onde o romance desperta,
Sementes ao vento.

Sonha, noite,
Coração adentro,
Onde restou sua ausência
No lugar do seu alento.

Sonha, noite,
No olhar pálido
Que se perde no ar
Sem nada enxergar.

Sonha, noite,
Por meus olhos vermelhos
Que não mais descansam,
Apenas lamentam e amam.

Sonha, noite,
Pois é o sonho que me sustenta
Nessa vida traiçoeira
Que me suga a alma, sedenta.

Sonha, noite,
Para que salve meu amor
Mesmo nas angústias da madrugada,
Pois sinto correspondida
Minha paixão desamparada.



Jejels, 13/01/2013.

Nenhum comentário: