terça-feira, 21 de maio de 2013

Brasília: onde as ruas não têm nome

onde as ruas não têm nome
eu quero andar
andar sem direção
 
onde as ruas não tem nome
eu quero correr
correr sem nome rumo direção
 
onde as ruas não têm nome
eu quero ouvir uma banda passar
cantando coisas de mim
 
onde as ruas não têm nome
eu quero plantar casas
plantar plantas e plano pilotos
 
onde as ruas não tem nome
eu quero colocar números
dos dois lados muitas letras
onde as ruas não têm nome
 
eu quero mandar ladrilhar
 
onde as ruas não têm nome
eu quero morrer
morrer sem direção




Augusto Rodrigues, poeta goiano.
Poema transcrito do livro “Onde as ruas não têm nome”,  Thesaurus Editora

(retirado de brasiliapoetica.blog.br)

Nenhum comentário: